ESTÓRIAS...

ESTÓRIAS...

quinta-feira, 30 de março de 2017

SONHOS

Ângela adormeceu na cadeira de balanço que ficava na varanda da velha casa. Ela adorava ficar olhando para a velha jaqueira. E de repente adormecia... Sonhava muito e ficava feliz, parecia que voltava no tempo. Quando acordava sentia-se muito bem e agradecia a natureza por mais um dia de tanta beleza.

Lita Duarte


segunda-feira, 27 de março de 2017

O PAVÃO

O passeio naquela fazenda antiga trouxe muitas alegrias. As crianças ficaram fascinadas com tudo que viram, mas se encantaram com o pavãozinho. Ele era muito lindo e se aproximava das pessoas com muita desenvoltura. 

Lita Duarte

quarta-feira, 22 de março de 2017

INFÂNCIA

Havia outras alegrias naquele tempo que não corria. A gente só se preocupava em acordar e dormir. Tudo seguia um ritmo harmonioso. Parecia que a vida era um imenso balão colorido. Problemas! O que era isso?  Os adultos pareciam ser tão bons e tão sábios. Eles pareciam saber de tudo e jamais sentiam medo. Tudo tinha um colorido perfeito. Até a escola que para alguns era um momento de chateação, tinha sua graça e beleza.

Infância é um tempo bom... ou era. A gente não tinha pressa de crescer. A gente se contentava com tão pouco. Não havia tanto desespero em ter, em possuir coisas desnecessárias. A gente era criança e era feliz.

Lita Duarte

quarta-feira, 15 de março de 2017

O LAGARTO

As meninas saíram para brincar no parque, costumavam fazer isso todos os dias no final da tarde. Mas aquele dia foi muito especial. Diante da grande árvore elas pararam e observaram algo diferente.
Havia um lagarto enorme embaixo da árvore. Elas ficaram curiosas, mas também tiveram medo. Uma delas foi avisar um dos guardas que ficava circulando pelo parque. Imediatamente ele foi com ela olhar o tal lagarto. Ele também ficou impressionado com o tamanho do bicho e disse: - Esse bicho não é daqui. Alguém deve ter trazido pra cá.
As meninas foram embora, deixaram o guarda cuidar do assunto sobre o lagarto. No dia seguinte, quando voltaram ao parque ficaram sabendo que aquele lagarto havia sido abandonado por uma pessoa que não queria mais cuidar dele. O lagarto era um bicho de estimação... melhor dizendo: ex-bicho de estimação.
Triste, mas é isso que acontece. Muitas vezes as pessoas compram um bicho (porque é moda), levam para casa e começam a cuidar dele, mas com o tempo elas se cansam, porque cuidar de bicho exige dedicação. Então algumas pessoas acabam abandonando o bicho, como se ele fosse um objeto descartável.

Lita Duarte

PAUSA...

No final da tarde era sempre festa. As mães levavam as crianças para tomar banho de mar. Lá, elas nadavam e brincavam. Enquanto suas mães ficavam olhando, algumas também entravam na água e brincavam com os filhos, outras ficavam sentadas na areia conversando com as amigas.
Era uma tremenda alegria. Todos os dias era o mesmo ritual. Aquilo fazia muito bem aos pequenos.

Depois de terminarem o serviço de casa, as mulheres reuniam os filhos e iam para uma praia. Lá ficavam o resto da tarde. Só retornavam para casa quando começava escurecer, então preparavam o jantar e esperavam seus maridos que voltavam do trabalho. 

Quem observava de fora, achava tudo muito bom, parecia existir muita harmonia e simplicidade naquelas pessoas ali naquela aldeia.

Ainda posso ouvir os risos das crianças e a vozes das mamães falando com seus filhos.

Os ruídos chegam com o sopro da brisa suave que senti no rosto quando abri a janela.

Lita Duarte