ESTÓRIAS...

ESTÓRIAS...

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

O FEIRANTE

Eu levanto todos os dias às cinco da manhã, para ir trabalhar na Feira Livre da minha cidade.
Trabalho doze horas por dia. Não é fácil! O desgaste é muito grande. Estou tentando juntar uma grana para poder comprar uma casa, esse é meu sonho.

O bom de trabalhar em um lugar movimentado é que sempre tem alguém que faz alguma graça, que deixa a gente feliz.
Muitas vezes também ocorre o contrário, aparece sempre alguém querendo fazer a gente perder a paciência.
Hoje foi muito engraçado. Uma menina  de uns quatro anos de idade, ficou encantada com o caju.
Foi interessante ver a descoberta dela, porque ela estava sendo muito espontânea. Aquela atitude me fez dar boas risadas. Ela pegou um caju e dizia assim para sua mãe: Que coisa mais linda, como pode ser tão bonito e tem um cheirinho tão bom.
Depois disso, sua mãe comprou meia duzia de caju. E a menina ficou feliz, porque estava descobrindo algo diferente e novo.

lita duarte

Imagem retirada do Google.