ESTÓRIAS...

ESTÓRIAS...

quarta-feira, 6 de março de 2013

COMO ERA LIMPO AQUELE RIO

O rio que passava pela minha cidade era limpo, cheio de peixes, cheio de vida. Os pescadores estavam sempre na sua margem, havia peixe para dar e vender. Nadar naquele rio era uma tremenda alegria, mas um dia tudo mudou. O tal progresso com sua fúria tratou de poluir o rio. Aquele rio bonito, agora é um rio feio e podre. Aquelas águas que serviam para beber, regar plantas e muito mais; agora não servem para nada. O belo rio virou depósito de esgoto e lixo de todo tipo.

Devia ser proibido poluir um rio. Matar um rio é um pecado muito grande. Um rio é um mundo repleto de vida. Não entendo: se água é vida, porque há tantos rios mortos pelo mundo afora.

lita duarte

sexta-feira, 1 de março de 2013

A MULHER QUE LIA


A mulher queria ler. Ela se alimentava de livros. Lia tudo o que lhe caía nas mãos, mas nunca deixava de cumprir com suas obrigações. O homem com quem ela vivia não entendia isso muito bem. Ele reclamava, não podia ver sua mulher sentada lendo um livro que logo inventava algo para ela fazer. E era sempre motivo de brigas entre aquele casal os livros que insistiam em se meter entre os dois.

O homem sempre dizia: Mulher, você já está com isso nas mãos? Então para evitar brigas e confusão a mulher guardava o livro. Com o tempo ela foi aprendendo a ler em horários que não incomodava o seu marido, mas aquele homem era estranho, ele não entendia a necessidade daquela mulher. No fundo o que ele sentia era ciúmes. A mulher fazia de tudo para agradar aquele homem, mas não adiantava.

Um dia, o homem chegou em casa mais cedo. A mulher estava sentada em uma poltrona rodeada de livros, e lendo um conto que lhe fazia dar boas risadas. O homem ficou observando de longe e pensou: Essa mulher é doida, ela está na maior alegria e na  companhia dos livros. Eu não entendo isso! Com tanta coisa para fazer dentro de casa... Essa mulher vai ver, ela precisa de uma lição. Sem que ela percebesse o seu marido chegou bem perto dela e disse: O que você está lendo? Você está tão alegre, eu também quero ficar assim.

 Depois do susto que levou com a chegada de seu marido, ela falou: Então senta aqui do meu lado, que eu vou ler para você. Ele sentou, escutou tudo em silêncio, depois falou: Onde está a graça! Não achei nada de mais no que você leu. Então ela perguntou: Mas você entendeu? Assim que ela terminou de perguntar, o homem na maior ignorância disse assim: Você acha que eu sou ignorante? Você pensa que é melhor do que eu? Olha só o que eu faço com seus livros.  Naquele momento o homem cheio de raiva pegou os livros de sua mulher e rasgou quase todos. A pobre mulher chorava e dizia: Mas por que você fez uma coisa dessas! Não precisava fazer nada disso. Eu gosto de você. Os livros são companhias para mim. Fico tão sozinha neste fim de mundo em que você me trouxe para viver. Você tem suas atividades, sai para ir trabalhar, mas eu tenho que ficar aqui cuidando da casa. Eu não pensava que você fosse assim. Onde está aquele moço educado e bondoso que me conquistou? Eu não quero viver de maneira infeliz ao teu lado. Será que é pedir muito para você que me deixe ler.  O homem virou para a mulher e disse: Agora eu vou sair, depois nós conversamos. Ah, prepare o meu jantar.

lita duarte