ESTÓRIAS...

ESTÓRIAS...

terça-feira, 30 de outubro de 2012

PERDAS

Sempre que vejo pessoas idosas morando na rua, pedindo esmolas, fico pensando: Como será que foi a juventude dessa pessoa, quais foram suas escolhas? O que será que aconteceu para essa pessoa chegar nesse estado? Será que ela buscou o equilíbrio em sua vida? Ou será que viveu como a maioria das pessoas vivem... empurram tudo para mais tarde, achando que a vida vai dar conta de si mesma.

Um dia desses, conheci uma pessoa que me contou sua história. Ela é uma moradora de rua há mais de vinte anos. Atualmente ela esta´com setenta anos, mas parece que tem muito mais. Sua história é muito rica e cheia de detalhes. Ela começou me contando que foi morar na rua por causa das drogas. Disse que resolveu abandonar sua família e sua boa condição de vida porque precisava de liberdade.

Hoje em dia, ela se sente só e aflita. E diz que o peso dos anos é uma tortura, porque a limitação que ele traz é angustiante. Seu pior medo é ser atacada por pessoas que maltratam moradores de rua. O que ela mais gostaria de receber como presente, era poder ver seus três filhos, mas ela nem sabe onde eles moram, ela os abandonou quando eles eram muito pequenos e nunca mais quis saber deles.  Depois ela olhou para o céu e disse uma frase muito marcante.

"Na vida da gente, só o que não tem jeito é o arrependimento. Eu me arrependi de quase tudo o que fiz, mas o meu arrependimento não trouxe de volta tudo aquilo que perdi."

lita duarte

LÁ EM PARATY

lita duarte