ESTÓRIAS...

ESTÓRIAS...

domingo, 11 de julho de 2010

SONHOS LIBERTOS

Menina, não me venha com bobagens, você vive no mundo da lua!
Dona Tina, estou dizendo que sonhei de novo com aquele moço.
Zélia, na tua idade eu também sonhava com moços.

Era sempre assim, Zélia vivia dizendo para as pessoas que sonhava com um moço de longe, esse moço viria buscá-la para se casar com ela.

Zélia era uma moça morena, cabelos castanhos, de pequena estatura e tinha uns vinte anos de idade. Era muito falante e sonhadora.
Fora trazida para São Paulo, para trabalhar com dona Tina, uma senhora de cinqüenta e oito anos, gorda, branca, cabelos ruivos, solteira e dona de uma lojinha de aviamentos e que também oferecia serviço de costura: conserto de roupas em geral.

Dona Tina e Zélia trabalhavam o dia todo na lojinha. Toda costura ficava a cargo de Zélia, dona Tina só atendia no balcão.
Elas moravam juntas no apartamento de dez cômodos, mas Zélia ocupava o quartinho de empregada.
Dona Tina cobrava tudo o que Zélia consumia, pagava um salário pequeno pelo serviço de costura, mas Zélia tinha que pagar pela moradia e alimentação, no final quase não lhe sobrava nada.
Mas parecia que Zélia vivia feliz. Afinal de contas, ela saiu de sua terra natal, onde sofria muito porque dependia da bondade de alguns parentes, mas o lugar em que ela vivia era de uma pobreza de fazer doer o coração de quem passasse por lá.

Zélia vivia sonhando com um homem que lhe dizia que se casaria com ela. Esse homem era de um lugar muito longe, lá do outro lado do mundo. Ela ficava feliz todas ocasiões em que isso ocorria.
Pra ela era um prazer ficar contando esse sonho para os outros.
Zélia era uma pessoa muito simples, sem grandes sonhos e vaidades. Mas queria encontrar uma pessoa que a fizesse feliz.
Felicidade pra ela, era poder ter alguém que gostasse dela e lhe fizesse companhia sempre. Por ser órfã e sempre depender de favores de outros, tudo o que ela queria era alguém só pra si.

continua...

lita duarte